As exportações deverão, em 2025, representar mais de metade do PIB português, prevê o presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP), Paulo Nunes de Almeida.

O crescimento das exportações até àquele ano vai “centrar-se nos sectores do têxtil e vestuário, calçado, da metalomecânica, agro-alimentar e mobiliário”, disse o dirigente associativo ao “Dinheiro Vivo”. Paulo Nunes de Almeida considera que “as exportações, a par com o investimento, vão continuar a ser o motor que vai puxar pela economia” em 2018.

“Acreditamos que, a médio prazo, a intensidade exportadora poderá mesmo atingir 50% do PIB. É um desafio grande mas também é um desígnio que mobiliza todos, desde as associações empresariais até às próprias empresas, que estão hoje muito vocacionadas para os mercados internacionais. E as perspectivas para a economia mundial levam-nos a acreditar que 2018 vai ser um bom ano”, considera Nunes de Almeida.

O ano que passou deverá ter fechado com as exportações na casa dos 55 mil milhões de euros, o que, somadas as receitas do turismo, será já mais de 43% do PIB português.