As exportações aumentaram mais do que as importações em Julho de 2018, segundo os dados do INE. A vantagem ficou a dever-se à maior venda de produtos petrolíferos para o exterior.

As exportações de bens registaram uma variação homóloga nominal de +13%, acelerando em relação a Junho (+9%). Já as importações aumentaram 11% em termos homólogos, correspondendo a uma desaceleração face a Junho de (+16,5%).

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 11% e as importações cresceram 11,4% em Julho último. As subidas em Junho haviam sido, respectivamente, de 7,3% e 8,6%.

Como base nestes dados, o INE indica que o défice da balança comercial de bens foi de 1 168 milhões de euros em Julho, mais 32 milhões de euros que no mês homólogo de 2017. Excluindo os combustíveis e lubrificantes a balança comercial atingiu um saldo negativo de 788 milhões de euros, correspondente a um aumento do défice de 98 milhões de euros em relação a Julho do ano passado.

No trimestre terminado em Julho de 2018, as exportações e as importações de bens aumentaram, respectivamente, 9,4% e 8,7% face ao mesmo período de 2017.